Natação

Desempenho da chinesa Ye Shiwen, de 16 anos, divide opiniões no mundo do esporte

Jovem nadadora causou polêmica por ter baixado o recorde mundial dos 400m medley em 1s02 e completado os últimos 50m abaixo da marca do masculino
31/07/2012 11:14 - Atualizado em 31/07/2012 11:28
Por AFP
Londres

Nas piscinas, a discussão do momento é sobre o desempenho da jovem nadadora chinesa Ye Shiwen, de 16 anos, que bateu o recorde mundial dos 400m medley no sábado. O diretor executivo da Associação Internacional de Treinadores de Natação (WSCA, sigla em inglês), suspeitando do desempenho da atleta, afirmou, nesta terça-feira, que a jovem competiu sob o efeito de alguma substância ilícita.

- Simplesmente direi que a história do nosso esporte mostra que cada vez assistimos a algo “incrível” que depois se descobre que havia dopagem – criticou o americano John Leonard ao The Guardian.

Ye Shiwen, que nadará a final dos 200m medley nesta terça, deixou todos de queixo aberto no Parque Aquático de Londres ao completar os 400m medley em 4m28s43, baixando o recorde mundial em 1s02, que pertencia a australiana Stephanie Rice. Nos últimos 50m da prova, a chinesa fez uma parcial mais rápida do que a de Ryan Lotche, campeão da prova no masculino. O desempenho de Shiwen traz à tona uma série de escândalos de doping que assombra a natação chinesa desde a década de 90.

Apesar da polêmica, o presidente da Comissão Médica do Comitê Olímpico Internacional (COI), Arne Ljungqvist, apoiou a nadadora, assim como fez, nesta terça, o presidente do Comitê Olímpico Britânico, Colin Moynihan.

- Sabemos o rigor com que a Agência Mundial Antidoping (WADA, sigla em inglês) fiscaliza os Jogos, e a WADA confirmou que ela (Shiwen) está limpa. Fim da história. É lamentável que haja tanta especulação – criticou Moynihan.

'Advogados' de defesa

Ex-nadadores campeões olímpicos saíram em defesa da jovem chinesa.

Chinesa irá competir a final dos 200m medley nesta terça-feira - Leon Neal/AFP- Temos que lembrar que os nadadores mais novos podem reduzir os tempos com mais facilidade do que os mais experientes – disse o australiano Ian Thorpe à BBC.

O ex-nadador britânico Adrian Moorhouse, medalhista de ouro no 100m peito nos Jogos de Seul-1988, também defendeu Ye, dizendo que a China pode ter descoberto seu próprio Michael Phelps.

- Há uma grande quantidade de pessoas na China. Se treinar milhares e milhares de crianças, provavelmente encontrará o seu Michael Phelps. Eles podem sim ter encontrado essa jovem talentosa, capaz de trabalhar duro, que tem a forma perfeita e sabe lidar com toda pressão que é jogada em cima dela – analisou Moorhouse.

O pai de Ye, Ye Qingsong, disse que a equipe de natação da China passou por um forte controle antidoping e atribuiu à conquista da filha a uma combinação de trabalho árduo e boa orientação dos técnicos.

- É normal que as pessoas desconfiem. A mídia ocidental sempre foi arrogante e desconfiou do povo chinês – afirmou Qingsong a um portal de notícias da China.


compartilhar no