Canoagem

Isaquias Queiroz cochila no volante e capota com carro em estrada no interior da Bahia

Canoísta foi buscar o irmão no aeroporto em Ilhéus; acidente ocorreu durante a volta
21/09/2015 14:27 - Atualizado em 21/09/2015 15:03
Por ahe!
RIO

Isaquias Queiroz é bicampeão mundial no C1 500m (2013 e 2014) - DivulgaçãoDe férias em sua terra natal, o bicampeão olímpico e principal promessa do Brasil para a disputa da canoagem nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Isaquias Queiroz capotou com o carro que dirigia, quando estava na BR-101, próximo a cidade de Ubaitaba, no interior da Bahia. O acidente aconteceu por volta das 3h da madrugada e o canoísta baiano teria cochilado no volante. Além do atleta e seu irmão, um amigo deles também estava na caminhonete. Apesar do susto, felizmente, ninguém sofreu ferimentos.

- Fui esperar meu irmão no aeroporto. Quando estava voltando, eu acho que acabei cochilando um pouco no volante. Foi questão de segundos. O carro saiu da pista. Quando meu amigo e meu irmão me avisaram, já era um pouco tarde. Acabamos entrando no matagal e caindo numa ribanceira. Graças a Deus não aconteceu nada com ninguém. A gente está bem. Danos só no carro - disse o atleta em entrevista exclusiva ao site Ubaitaba.com.

Veja mais: Aos 19 anos, medalhista de bronze em mundial morre de câncer

Em seu currículo, Isaquias Queiroz, de 21 anos, tem muitas conquistas. No entanto, ele também coleciona inúmeros acidentes em sua vida. Na canoagem, o baiano é bicampeão mundial no C1 500m (2013 e 2014). Na edição deste ano, ao lado do conterrâneo Erlon de Souza, ele conquistou a medalha de ouro no C2 1000m, além do bronze no C1 200m no Mundial de Milão. Nos Jogos Pan-americanos Toronto 2015, ele faturou dois ouros (C1 1000m e C1 200m) e um bronze (C2 1000m).

No “outro lado do currículo”, os acidentes acompanham Isaquias desde a infância. Logo aos três anos, ele virou uma panela com água quente no corpo e precisou ficar internado por mais de um mês. Dois anos depois, foi sequestrado. E, aos dez, ao cair de uma árvore, teve hemorragia interna, passou por cirurgia e acabou perdendo um rim.

- É inacreditável, porque quem vê as fotos e o local do acidente... É um local de difícil acesso e tem bastante pedras com pontas. A gente não teve nenhum arranhão. Isso foi milagroso. Vamos dizer que nasci de novo. Mais um acidente para o meu currículo. Já que sou conhecido como sete vidas (risos). Mas graças a Deus não aconteceu nada. Vou voltar dia 8 para o treinamento - finalizou o canoísta.

Veja mais: Presidente do Rio-2016, Nuzman se irrita com perguntas sobre a Lagoa


compartilhar no